Ouro Preto

 

A povoação de Ouro Preto foi fundada pela bandeira de Antônio Dias em 24 de Junho de 1698 e elevada à categoria de vila em 1711 com o nome de Vila Rica d’ Albuquerque. Em 1823 foi elevada à Imperial Cidade de Ouro Preto. A antiga capital de Minas conservou grande parte de seus monumentos coloniais e em 1933 foi elevada a Patrimônio Nacional e em 1980 a Patrimônio da Humanidade, sendo a primeira cidade brasileira elevada a tal.

ouropreto-001

A cidade de Ouro Preto, sede do grande município, situa-se nas ladeiras do vale do Córrego Tripuí à cerca de 1060 metros de altitude e a 20o 23’ 28” de lat. S e 43o 30’ 20” de long. W. Nenhum outro município brasileiro acumulou tantos fatos históricos como este vasto município. São os seguintes os distritos de Ouro Preto: Cachoeira do Campo, Amarantina, Glaura (Casa Branca), São Bartolomeu, Santo Antônio do Leite, Rodrigo Silva, Miguel Burnier, Engenheiro Correia, Santa Rita, Lavras Novas, Santo Antônio do Salto e Antônio Pereira.

Destes, o maior e mais desenvolvido é a histórica Cachoeira do Campo, perímetro urbano do município e o maior pólo de crescimento da região. Em segundo lugar vem o distrito de Santa Rita de Ouro Preto, terra do atual prefeito e que polariza a outra extremidade do município.

O relevo do município varia desde as baixadas do maracujá nos limites de Amarantina (900 m) e os mais de 1700 metros do Pico do Itacolomi (do tupi, “menino de pedra”) e da elevada serra de Rodrigo Silva (da velha formação geológica do Alto da Varanda e do Alto da Figueira, ponto mais elevado da Central do Brasil no país), passando para formações mais brandas no planalto cachoeirense (1100 m).

O atual prefeito de Ouro Preto é Julio Ernesto de Grammont Machado de Araújo, natural do distrito sede de Ouro Preto, que está em seu primeiro mandato. A Câmara dos Vereadores é hoje composta por 15 membros, sendo seu presidente o vereador Wander Lúcio de Albuquerque.

A sucessão na Prefeitura Municipal pode ser assim esquematizada desde o fim da ditadura:
– 1984 : Dr. Benedito Xavier (com seu falecimento tomou posse seu vice, o médico José Leandro Filho).
– 1985-88 : Dr. José Leandro Filho.
– 1989-92: Dr. Wilson Milagres.
– 1993-96 : Angelo Oswaldo de Araújo Santos
– 1997-2000 : Dr. José Leandro Filho.
– 2001-2004: Marisa Maria Xavier Sans
– 2004 – 2008: Angelo Oswaldo de Araújo Santos
– 2009 – 2012: Angelo Oswaldo de Araújo Santos
– 2013 – 2016: Dr. José Leandro Filho
– 2017 – 2020 : Julio Ernesto de Grammont Machado de Araújo

Cabe ainda salientar que com uma população de 70.227 habitantes (IBGE – 2010, é o município de Ouro Preto um dos 10 maiores do Estado. Cerca de 70% da população vive na área urbana (50% na sede e 20% no pólo regional de Cachoeira do Campo). Os 30% restantes estão espalhados na zona rural.

O relevo acidentado não favorece as atividades agropastoris que se desenvolvem ralamente. As indústrias extrativas se destacam: minério de ferro em Antônio Pereira; topázio branco e o famoso topázio imperial (único do mundo) em Rodrigo Silva; minério de ferro, calcário e mármore (uma das maiores jazidas do mundo) em Cachoeira do Campo; pedra-sabão em Santa Rita (processo artesanal) e em Cachoeira do Campo (processo industrial). Vale ainda destacar a presença da ALCAN e da CVRD, esta espalhada pelo município, a outra, grande metalúrgica, localizada no Bairro de Saramenha na sede.

Contudo, a mais importante atividade ainda é o turismo. Os principais pontos turísticos são: Museu da Inconfidência (1784-1855), Museu do Oratório (único do mundo, recentemente inaugurado), Casa dos Contos (1787), Teatro Municipal (1770, primeiro teatro das Américas) Matrizes do Pilar (1711-1733) e do Antônio Dias (1727-1760), Igrejas de São Francisco de Assis (1765-1810), do Carmo (1765) e do Rosário (1780), Capela do Padre Faria (1701-1710), Escola de Minas (1741-1749), (todos em Ouro Preto); Matriz de Nossa Senhora de Nazaré (1700-1725), Igrejas de Nossa Senhora das Dores (1756-1761) e das Mercês (1908), Capela do Bom Despacho ( 1a metade do século XVIII) e Colégio Dom Bosco (1775-1779), (em Cachoeira do Campo); Matriz de São Bartolomeu e Igreja das Mercês (em São Bartolomeu); Matriz de Santo Antônio (em Santo Antônio do Leite); Matriz de Santo Antônio (em Glaura); Matriz de São Gonçalo e Museu das Reduções (em Amarantina); Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres (em Lavras Novas). O turismo ecológico agora começa também a se destacar nas belíssimas paisagens entre Lavras Novas e Rodrigo Silva.

Com todas estas credenciais, Ouro Preto é uma das mais importantes cidades Brasileiras, símbolo maior da nossa liberdade e expressão máxima da História e do Barroco Mineiro

CRONOLOGIA
– 24 de Junho de 1698: Fundação da povoação e construção da primeira capela ( de São João);
– 8 de Julho de 1711: elevação a Vila (Vila Rica);
– 1720: Revolta de Filipe dos Santos ou Sedição de Vila Rica;
– de 1721 a 12 de Dezembro de 1897: Capital da Província de Minas;
– 1789: Inconfidência Mineira;
– 24 de Fevereiro de 1823: elevação a cidade (Imperial Cidade de Ouro Preto);
– 12 de Julho de 1933: tombamento pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN);
– 2 de Setembro de 1980: tombamento pela UNESCO (Monumento Mundial);
– 1994: sedia o encontro dos países do cone-sul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) para a fundação do MERCOSUL.

DATAS COMEMORATIVAS
– 21 de Abril: aniversário da morte de Tiradentes (todos os anos nessa data, a capital de Minas é transferida simbolicamente para Ouro Preto);
– 8 de julho: Nossa Senhora do Pilar (padroeira);
– 12 de Outubro: aniversário da Escola de Minas;
– 8 de dezembro: Nossa Senhora da Conceição (padroeira);

CURIOSIDADES CULTURAIS
– A Praça Tiradentes possui este nome por ali ter estado exposta a cabeça deste inconfidente;
– A Semana Santa, festividade tradicional, atrai multidões a Ouro Preto;
– Ouro Preto produziu vários personagens folclóricos: Chico Rei (ex-escravo que deu origem ao congado), o Embuçado (que avisou aos inconfidentes de seus insucessos), Marília de Dirceu (a prometida de Gonzaga), Aleijadinho (genial escultor), Sinhá Olímpia (que virou tema de carnaval carioca), João Pé-de-rodo (até hoje ídolo dos estudantes);
– Além das capelas, Ouro Preto possui 11 igrejas históricas;
– O atual Museu da Inconfidência foi construído para ser a Câmara e cadeia;
– A festa do Divino Espírito Santo e de São Bartolomeu, no distrito de São Bartolomeu, atrai multidões em busca de milagres e de seus doces, considerados dos melhores do país;
– Nos distritos de São Bartolomeu e Lavras Novas há ainda várias manifestações de cunho folclórico como o Bumba-Meu-Boi, Touradas, Congado e Reinado do Rosário da mesma forma com que as Cavalhadas foram preservadas em Amarantina;
– O Colégio Dom Bosco, em Cachoeira do Campo, fundado em 1896, foi instalado no antigo Quartel dos Dragões (1779), onde serviu como alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, que foi traído a poucos quilômetros dali no Palácio de recreio do Visconde de Barbacena, por Joaquim Silvério dos Reis;
– O primeiro governador eleito pelo povo da História das Américas – Manuel Nunes Viana – foi sagrado na Matriz de Cachoeira do Campo durante a Guerra dos Emboabas, em 1708;
– A Estação Ferroviária de Rodrigo Silva foi fundada pelo Imperador Dom Pedro II em 1888;
– O município de Ouro Preto possui cerca de 25 Igrejas e mais de 30 capelas históricas.

Links Institucionais:

Prefeitura Municipal de Ouro Preto: www.ouropreto.mg.gov.br

Câmara Municipal de Ouro Preto: www.cmop.mg.gov.br

Fonte: Projeto Rescobrindo Cachoeira

AMIC – Associação Cultural Amigos de Cachoeira do Campo
www.cachoeiradocampo.art.br
www.guiacachoeiradocampo.com.br
www.amiccachoeira.blogspot.com

Share