Tradição e fé na Semana Santa em Ouro Preto

A Semana Santa em Ouro Preto é uma celebração divina que atravessa os séculos, celebra a paixão, morte e triunfante ressurreição de Jesus Cristo. A data especial, este ano, será comemorada entre os dias 09 a 16 de Abril.

Em 2017, quem conduz a programação da Semana Santa é a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Com a tradição de revezamento da presidência do cerimonial entre as duas paróquias mais antigas de Ouro Preto, as paróquias de Nossa Senhora do Pilar e de Nossa Senhora do Rosário, em comunhão, organizam as celebrações e convidam a comunidade ouro-pretana e os visitantes para as solenidades.

A comunidade também se dedica na confecção dos tradicionais tapetes devocionais que ornamentam as ruas e dão forma aos desenhos que simbolizam a fé dos fiéis e conferem ao cenário da Procissão da Ressurreição no domingo de Páscoa.

Semana Santa em Ouro Preto

A Vila Rica do século XVIII, instalou-se a Ordem Terceira dos Servitas, que erguera posteriormente a Igreja de Nossa Senhora das Dores do Monte Calvário. Ali os fiéis passaram a realizar anualmente nos sete dias que antecedem o início da Semana Santa o Setenário das Dores, que consta de cânticos barrocos e orações tradicionais, através dos quais se venera a Mãe de Deus em seus sofrimentos e dores, desde a profecia de Simeão no Templo até a deposição do corpo de Jesus morto no sepulcro.

O Domingo de Ramos nos introduz no mistério da Paixão do Senhor. A liturgia divide-se em duas partes: a primeira festiva, na qual aclamamos a Cristo, Rei de Israel, com ramos de oliveira e brados de Hosana; a segunda parte, mais dramática, na qual ouvimos a história da Paixão e contemplamos o Senhor que livremente se entrega à morte por amor a nós.

Na tarde do Domingo de Ramos as sacadas de Ouro Preto se vestem de roxo e vermelho para a passagem das procissões que conduzem o Senhor dos Passos e a Senhora das Dores até a praça central, onde se revive a piedosa tradição de meditar o doloroso encontro de Jesus e a Virgem Maria no caminho do Calvário. Cada fiel é chamado a ir também ao encontro da Mãe e do Filho, num dos capítulos mais dramáticos da história da salvação.

Soledade significa uma extrema solidão, por isso, durante a Semana Santa realiza-se esta procissão, que relembra o caminho de volta, percorrido por Nossa Senhora, do sepulcro, onde deixara o Filho sepultado, até sua casa. A Mãe de Deus caminha sozinha, sentindo no mais profundo do seu coração imaculado a espada de dor que lhe transpassava a alma.

O Ofício de Trevas é a celebração de duas horas canônicas: Matinas e Laudes de Quinta-Feira Santa, as quais se permite antecipar para a quarta. O nome “de trevas” se deve ao fato de que, ao longo da cerimônia, apagam-se lentamente 14 velas, dispostas num grande candelabro triangular, chamado tenebrário. Ao final, a décima quinta vela é retirada e a igreja fica às escuras, porém ela retorna ao vértice mais alto do tenebrário, pois a glória de Nosso Senhor nunca se apaga.

Ao lavar os pés dos Apóstolos, ensina a suprema lição de humildade e pede que façamos o mesmo, amando-nos uns aos outros, como Ele nos amou. Fazem parte também desta noite santa e admirável a agonia do Senhor no Jardim das Oliveiras e sua prisão. Ainda naquela madrugada Ele seria açoitado e injustamente condenado, realizando o seu eterno desígnio de Amor.

Tapetes coloridos e acordes vibrantes, acompanhados de festivos repiques do alto das torres anunciam: Jesus ressuscitou e passará pelas históricas ladeiras de Ouro Preto. A multidão dos fiéis acompanha Jesus na Eucaristia, celebrando seu triunfo. À noite coroa-se a Virgem excelsa, Mãe do Ressuscitado, e entoa-se o “Te Deum”, hino de ação de graças por tão grande solenidade.

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA EM OURO PRETO

Setenário das Dores de Nossa Senhora 

1º de Abril a 7 de Abril

Na Vila Rica do século VXIII, instalou-se a Ordem Terceira dos Servitas que erguera posteriormente a Igreja de Nossa Senhora das Dores do Monte Calvário. Ali os fiéis passaram a realizar anualmente, nos sete dias que antecedem o início da Semana Santa o Setenário das Dores, que consta de cânticos barrocos e orações tradicionais, através dos quais venera-se a Mãe de Deus em seus sofrimentos e dores, desde a profecia de Simeão no Templo até a deposição do corpo de Jesus morto no sepulcro.

01 a 07 de Abril – Setenário das Dores

19:00 – Missa e Exercício de Meditação com a participação do Coral São Pio X  na Igreja Nossa Senhora das Dores

07 de Abril – Sexta-Feira das Dores

19:00 – Missa e Encerramento do Setenário das Dores na Igreja de Nossa Senhora das Dores – Em seguida, Procissão do Depósito de Nossa Senhora das Dores até a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia. Canto dos Inflamatus.

08 de Abril – Sábado dos Passos

19:00 – Missa na Basílica de Nossa Senhora do Pilar. Procissão do Depósito de Nosso Senhor dos Passos até a Igreja de Nossa Senhora das Dores. Canto do Popule Meus

09 de Abril – Domingo de Ramos e da Paixão

07:30 – Procissão de Ramos. Início na Igreja São Francisco de Assis até a Igreja de Nossa Senhora de Mercês e Perdões.

15:30 – Missa na Igreja de Nossa Senhora das Dores. Em seguida, procissão com a imagem de Nosso Senhor dos Passos até à Praça Tiradentes.

16:00 – Missa na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia. Em seguida, procissão com a imagem de Nossa Senhora das Dores até à Praça Tiradentes.

11 de Abril – Terça-Feira Santa

19:00 – Missa na Basílica de Nossa Senhora do Pilar, reflexão das Dores de Nossa Senhora. Em seguida procissão da Soledade, conduzindo a imagem de Nossa Senhora das Dores até a Igreja de São Francisco de Assis.

12 de Abril – Quarta-Feira Santa

19:00 – Missa na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões. Em seguida, solene Ofício das Trevas.

Solene Tríduo Pascal

13 de Abril – Quinta-Feira Santa

18h30 – Na Igreja de São Francisco de Assis, missa Solene In Coena Domini – da Ceia do Senhor, com Sermão da Eucaristia.

20:30 – Sermão do Mandatum e cerimônia do Lava-Pés, em frente a Igreja de São Francisco.

14 de Abril – Sexta-Feira Santa

09:00 – Sermão das Sete Últimas Palavras do Divino Redenção na Cruz na Igreja de Nossa Senhora das Dores.

15:00 – Solene Ação Litúrgica na Igreja de Nossa Senhora das Dores: Liturgia da Palavra, Adoração do Cristo na Cruz e distribuição da Santíssima Eucaristia.

19:00 – Em frente a Igreja de São Francisco de Assis, apresentação das figuras bíblicas.

20:00 – Sermão do Descendimento da Cruz. Em seguida, piedosa Procissão do Enterro, conduzindo as imagens do Senhor Morto e da Virgem Dolorosa até a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

15 de Abril – Sábado Santo

19:00 – Soleníssima Vigília Pascal: Benção do Fogo Novo, Preparação do Círio Pascal, Canto do Exultet, do Glória e do Aleluia, Liturgia da Palavra, Liturgia Batismal e Liturgia Eucarística.

16 de Abril – Domingo da Páscoa

07:00 – Missa na Igreja de São Francisco de Assis. Em seguida, jubilosa Procissão, conduzindo o Cristo vivo e ressuscitado até a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Após Bênção do Santíssimo e Missa.

19:00 – Missa, Coroação de Nossa Senhora do Triunfo e canto do To Deum, na Igreja de São Francisco de Assis, encerrando as celebrações.

Visto e aprovado

Cônego Luiz Carlos César Ferreira Carneiro – Pároco do Santuário da Arquidiocese de Nossa Senhora da Conceição

Padre Vander Sebastião Martins – Vigário Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição

Padre Marcelo Moreira Santiago – Pároco e Reitor da Basílica de Nossa Senhora do Pilar

Dom Francisco Barroso Filho – Colaborador

Diácono Agostinho Barroso de Oliveira – Colaborador

Irmandade do Santíssimo Sacramento da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição

Conselho Paroquial de Pastoral das paróquias de Nossa Senhora da Conceição e de Nossa Senhora do Pilar

Realização:

Santuário de Nossa Senhora da Conceição – Ouro Preto – Minas Gerais

Paróquia de Nossa Senhora da Conceição – Bairro Antônio Dias – Ouro Preto – Minas Gerais

Irmandade do Santíssimo Sacramento – Paróquia de Nossa Senhora da Conceição

Paróquia de Nossa Senhora do Pilar – Ouro Preto – Minas Gerais

Apoio: 

Museu do Aleijadinho

Prefeitura de Ouro Preto

GuiaCachoeiradocampo.com.br – Rodrigo Gomes

Ano Nacional Mariano – 300 anos do Encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida